ENCONTROS QUINZENAIS DE LINGUÍSTICA SISTÉMICO-FUNCIONAL  

 

Encontro 30º

   

8 de Novembro de 2007, Quinta-feira, às 16:30 h.

 

 

A REPRESENTAÇÃO DE EUROPEUS E AFRICANOS EM HEART OF DARKNESS: UMA ABORDAGEM LINGUÍSTICA DAS TRADUÇÕES PARA PORTUGUÊS

 

                            Roberto Carlos de Assis (UFMG/ CNPq, Brasil)

 

 

Heart of darkness (O coração das trevas ), escrito por Joseph Conrad em 1902, vem sendo discutido por diversas abordagens da teoria literária ou dos estudos culturais. Tornou-se uma obra polêmica especialmente após as reflexões do africanista Chinua Achebe (1977) apontando para o racismo subjacente na obra . Em língua portuguesa O coração das trevas surgiu apenas em 1983 com uma tradução para o português europeu e em 1984 com duas traduções distintas para o português brasileiro , aparentemente motivadas pelo sucesso do filme Apocalypse now (1979). Desde então , vem sendo traduzido seguidamente : 1996, 1998, 2001, 2002 e 2007 (Brasil) e 1999 (Portugal). No escopo do CORDIALL– Corpus Discursivo para Análises Linguísticas e Literárias e do LETRA Laboratório Experimental em Tradução da Universidade Federal de Minas Gerais , Brasil, esta apresentação focaliza a investigação do original e comparação de duas de suas traduções para o português brasileiro a partir da perspectiva da Gramática Sistémico-Funcional (Halliday, 2004) e do inventário sócio-semântico de representação dos actores sociais ( van Leeuwen, 1996). Resultados preliminares parecem corroborar Achebe (1977), ao revelar uma representação negativa dos africanos no original , com sua manutenção ou com estratégias de intensificação ou mitigação da negatividade nas traduções analisadas.

 

Roberto Carlos de Assis é licenciado em Língua e Literatura Inglesa, especialista em Tradução , mestre e doutorando em Linguística Aplicada, na área dos Estudos da Tradução , pela UFMG, Brasil. É bolsista do Conselho Nacional de Pesquisa (CNPq) e está na FLUL complementando sua pesquisa ( Doutorado Sanduíche ). Tem interesse nas abordagens linguísticas da tradução e, em especial , na aplicação da Linguística Sistémico Funcional como referencial teórico de descrição e comparação do texto fonte com o texto traduzido.