78º Encontro

Legitimação do conhecimento especializado - a perspectiva de um biólogo


Marta Filipe Alexandre (FLUL/ILTEC,Portugal)

Como é que os cientistas distinguem as ciências? Esta é a nossa pergunta de pesquisa. Na apresentação explora-se esta interrogação por meio da análise linguístico-discursiva de uma resposta dada por um biólogo em contexto de entrevista. O nosso propósito é demonstrar como é que se pode compreender que um biólogo não produza qualquer representação e reivindicação da biologia enquanto conhecimento especializado. Espera-se que a análise mostre que o biólogo não constrói qualquer legitimação sobre a biologia, mas sobre a ciência. E espera-se ainda que a discussão crítica aponte linhas de explicação. O ponto de partida para a análise, feita com categorias da linguística sistémico-funcional, é uma teoria recentemente elaborada a partir do trabalho de Bernstein, Bourdieu e do realismo crítico: a teoria dos códigos de legitimação. Desenvolvida por Karl Maton, a teoria dos códigos de legitimação tem vindo a ser aplicada e ampliada também junto da comunidade sistémico-funcional (confira-se, por exemplo, volumes recentemente editados por Frances Christie, Jim R. Martin e Sue Hood, entre outros)