ENCONTROS QUINZENAIS DE LINGUÍSTICA SISTÉMICO-FUNCIONAL  

 

Encontro 60º

   

22 de Abril de 2010, Quinta-feira, às 17:00 h.

 

O que é que disseste que eu não percebi nada? A escrita académica no 1.º ciclo

 

Mafalda Mendes

(FLUL/ ILTEC, Portugal)


Nesta sessão proponho-me partilhar com o grupo de estudos LSF uma primeira reflexão acerca de um corpus de textos escolares, alguns deles multimodais, produzidos no 1.º ciclo ao longo de três anos na disciplina de Estudo do Meio.
Como instrumento de análise propõe-se o quadro teórico dos estudos de género da Escola de Sidney, em particular as propostas de descrição dos géneros escolares (Martin & Rose 2008; Christie 2005, 2008), numa perspectiva ontogenética inaugurada em Martin & Rothery (1981). Avanço a hipótese de que o corpus produz evidência da emergência, a partir da prática inicial do género (protogénero) observação/comentário, do género report (conceito não diferenciado na teorização de géneros textuais em português), considerado como um dos géneros de base da escrita académica. A análise longitudinal parece indicar que a progressão no domínio das convenções genológicas que regulam a escrita de reports é morosa e talvez mais difícil do que a observada na escrita de histórias e que, na ausência de orientação específica para as configurações típicas do report, a criança recorre à transferência das molduras semióticas que configuram géneros que lhe são familiares para a construção do report.
Sugere-se como fundamental para a análise deste corpus, uma reflexão sobre a funcionalidade das diversas modalidades (Kress 2003) na realização dos objectivos sociais do género report: generalizar acerca das entidades mundo natural recorrendo a processos de classificação e descrição.

********

Mafalda Mendes é licenciada em Línguas e Literaturas Modernas, pela FLUL (1990) e pósgraduada em Tecnologia Educativa pela Universidade do Minho (1994). Interessa-se pelas relações entre literacia, escrita, e poder nas sociedades modernas. É bolseira da FCT e investigadora no ILTEC, encontra-se a meio do doutoramento em Linguística Aplicada, na FLUL, no âmbito do qual se propõe estudar o desenvolvimento da linguagem escrita em crianças do 1.º ciclo do ensino básico.