ENCONTROS QUINZENAIS DE LINGUÍSTICA SISTÉMICO-FUNCIONAL  

 

Encontro 69º

   

24 de Fevereiro de 2011, Quinta-feira, às 17:00 h.

 

Reflexões sobre Complexidade Sintáctica

 

Mário Martins (FLUL/ILTEC, Portugal)


É crença comum que a escrita de um aluno se torne mais complexa ao longo do seu percurso escolar. Isso encontra eco em afirmações como a de Robinson & Howell (2008 cf. Wright 2007), de que a falta de maturidade sintáctica implica pobreza de habilidades de escrita, ou a de Silva, Abchi & Borzone (2010), que postulam que a maturidade sintáctica é a capacidade que as pessoas têm de produzir unidades em complexo.
Embora tais afirmações ilustrem uma aparente obviedade, neste encontro proponho reflectirmos sobre definição(ões?) e critérios de medição da complexidade sintáctica, a relação entre complexidade e maturidade e ainda a vocação das unidades gramaticais para comporem essa medição.
O meu interesse nessa reflexão justifica-se na multiplicidade de definições e critérios. Halliday (2005), por exemplo, assevera que a densidade lexical indica a complexidade na escrita. Hunt (1965) propõe três índices para se mensurar a complexidade, dentre eles, a combinação T-unit (Media Length of Minimal Terminable Syntactic Unit). Givón (2009) sugere que a tendência da complexidade, numa dimensão ontogenética, está fortemente orientada para o encaixe.
A reflexão proposta constituirá ponto fundamental do meu projecto de doutoramento, em que tenciono analisar o desenvolvimento da escrita escolar no ensino básico português.

Referências
Givón, T. & Shibatani, M. (2009): Syntactic Complexity: diachrony, acquisition, neuro-cognition, evolution. John Benjamins Publishing Company Amsterdão/Filadelfia.
Halliday, M.A.K. (2005): Spoken and written modes of meaning. In: Webster, J. (ed.). On Grammar. Continuum International Publishing: Londres/NewYork. 323-351.
Hunt, K.W. (1965): Grammatical Structures Written at Three Grade Levels. Research Report 3. Urbana (Ill): NCTE.
Silva, M., Abchi, V. & Borbone, A. (2010): Subordinate Clauses Usage and Assessment of Syntactic Maturity: a comparison of oral and written retellings in beginning writers. Journal of Writing Research 02.1. 47-64.
Wright, J. (2010): The RTI toolkit: A Practical Guide for Schools. Port Chester, NY: National Professional Resources, Inc.


****** 


Mário Martins é doutorando em Linguística Aplicada na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e investigador do grupo Discurso e Literacia, do Instituto de Linguística Teórica e Computacional..