ENCONTROS QUINZENAIS DE LINGUÍSTICA SISTÉMICO-FUNCIONAL  

 

Encontro 52º

   

25 de Junho de 2009, Quinta-feira, às 16:30 h.

 

Já mergulhei e a mamã preparou um bolo e um chá

 

Mafalda Mendes (FLUL/ ILTEC, Portugal)

ESPAÇO

ESPAÇO

No modelo estratificado do sistema da linguagem, que organiza o quadro teórico da Linguística Sistémico Funcional (Halliday, 2004), os recursos da pontuação são os recursos grafológicos do estrato da expressão que, no subsistema da escrita, realizam, ao menos parcialmente, um conjunto de significados realizados, na oralidade, pelos recursos da prosódia, nomeadamente, delimitar unidades de significado no fluxo discursivo (acima do nível da palavra), marcar o status da mensagem, o que a mensagem está a fazer na interacção, e, por fim, marcar relações entre unidades gramaticais. Quer isto dizer que o sistema da pontuação realiza no extracto da expressão significados nas três metafunções da linguagem - textual, interpessoal e lógica (ideacional).
A partir da análise um corpus constituído por duas séries de textos produzidos, respectivamente, por duas alunas ao longo dos 2.º e 3.º anos de escolaridade, procurarei mostrar como as aprendizagens efectuadas no sistema da pontuação por cada uma das crianças estão relacionadas com as configurações de registo resultantes das escolhas retóricas por elas realizadas. As categorias de registo analisadas são i) na metafunção interpessoal, o tipo do modo oracional; ii) na metafunção textual, as escolhas temáticas, em particular os temas textuais e a marcação temática; iii) na metafunção lógica (ideacional), os valores da taxe e das relações lógico-semânticas no complexo oracional.
Como resultado deste trabalho de análise, ainda em curso, creio ser possível construir uma hipótese exploratória, a testar num corpus mais alargado, que leva a considerar que a consciencialização da unidade textual período poderá beneficiar numa primeira fase do exercício de construção de textos com inclusão de sequências dialogais. 
ESPAÇO

Mafalda Mendes é licenciada em Línguas e Literaturas Modernas, pela FLUL (1990) e pósgraduada em Tecnologia Educativa pela Universidade do Minho (1994). Interessa-se pelas relações entre literacia, escrita e poder nas sociedades modernas. Actualmente é bolseira da FCT e investigadora no ILTEC e está a fazer doutoramento em Linguística Aplicada, na FLUL, com o objectivo de estudar o desenvolvimento da linguagem escrita em crianças do 1.º Ciclo do Ensino Básico.