ENCONTROS QUINZENAIS DE LINGUÍSTICA SISTÉMICO-FUNCIONAL  

 

Encontro 29º

   

25 de Outubro de 2007, Quinta-feira, às 16:30 h.

 

 

ACD E PRÁTICAS CIENTÍFICAS:

FÍSICA E SOCIOLOGIA EM DISCURSO

 

Marta Filipe Alexandre (FLUL, Portugal)

 

 

A minha proposta nasce do cruzamento entre o interesse pela prática da ciência e o envolvimento na Análise Crítica do Discurso (ACD) e consiste em descrever e analisar o texto de duas das entrevistas realizadas e publicadas pelo jornalista Jorge Massada a cientistas portugueses de renome que trabalham sobretudo no estrangeiro (cf. Massada 2004).

Parto dos pressupostos teórico-metodológicos da ACD de Fairclough (1992, 1995, 2003) e de Gouveia (2003): (i) o discurso é uma prática social e (ii) há uma relação dialéctica entre discurso, estruturas sociais e processos de mudança sócio-discursiva e proponho-me observar, por um lado, como é que os cientistas se representam a si próprios e às suas práticas, tendo em conta a instanciação e a avaliatividade das referências à sua área de especialidade ou ao paradigma que seguem e das referências a instituições e projectos que integram, e, por outro, como é que os cientistas representam os outros e as práticas dos outros, tendo em conta a instanciação e a avaliatividade das referências a áreas de especialidade que lhes são alheias ou a paradigmas que não seguem e das referências a instituições ou projectos que não integram.

Com este trabalho, apoiado na Linguística Sistémico-Funcional de Halliday (2004) e na Teoria da Avaliatividade de Martin & White (2005), espero fornecer algumas evidências linguísticas de processos de mudança em curso relacionados com uma rede de fenómenos de natureza sóciocultural, entre os quais se destacam (i) a sobre-especialização e consequente incomunicabilidade teórica e metodológica entre cientistas (cf. Pombo, Guimarães e Levy, 2006: 178-99), (ii) a marginalização de projectos e áreas de investigação que não se enquadrem nos actuais sistemas de funcionamento e financiamento das instituições, (iii) a hegemonia de determinadas áreas científicas e práticas de investigação e (iv) uma série de correntes de questionamento da metodologia científica moderna.

 

Marta Alexandre é licenciada em Linguística pela FLUL (2004). Cientista social com actividade no âmbito da Consciência Linguística Crítica e da Análise Crítica do Discurso, é actualmente bolseira da FCT e investigadora no ILTEC-Instituto de Linguística Teórica e Computacional, a iniciar o Doutoramento em Linguística Aplicada com a análise crítica do discurso de cientistas portugueses sobre a sua prática científica (2007/2011). Participa ainda no Grupo de Investigação 'Discurso e Literacia' do ILTEC, onde estuda a Epistemologia e a Sociologia da Ciência em Portugal.