Projecto Diversidade Linguística na Escola Portuguesa


Exercícios de Ortografia


Para ir ao encontro de dificuldades que envolvem a oposição entre consoantes surdas e consoantes sonoras...

Dado que em algumas línguas não existe oposição entre consoantes surdas e sonoras, uma boa estratégia poderá passar por os professores mostrarem aos seus alunos que a diferença entre um <p> e um <b>, por exemplo, não é meramente contextual, como acontece com <c> e <qu>, mas que são sons diferentes que distinguem significados de palavras. Os professores podem, assim, criar exercícios de pares mínimos, como os que a seguir propomos, em que duas palavras com significados diferentes só se distinguem num som, que nuns casos é sonoro (consoantes /b/, /d/, /g/, /v/, /z/, //) e noutros é surdo (consoantes /p/, /t/, /k/, /f/, /s/, //).

 Proposta de exercícios 1 

Para ir ao encontro de dificuldades que envolvem a oposição entre os sons /l/ e /r/...

Dado que em algumas línguas não existe oposição entre o som /l/ e o som /r/, os professores poderão fazer junto dos seus alunos exercícios de pares mínimos que só se distingam nestes dois sons, como os propostos a seguir, para que os alunos tenham consciência de que se trata de uma oposição essencial na língua portuguesa, por distinguir significados de palavras.

 Proposta de exercícios 2 

Para ir ao encontro de dificuldades que envolvem os sons // e /r/...

As palavras rosa e muro possuem ambas a letra <r>. No entanto, apesar de semelhantes, são sons diferentes: o <r> de rosa é um som mais “carregado” – // – e o de muro mais “suave” – /r/. É esta diferença que faz com que distingamos as palavras carro e caro. O som mais carregado ou forte (vibrante velar) ocorre em posição inicial e medial de palavra, grafando-se com <r> em início de palavra e com <rr> em posição medial de palavra; o som mais suave ou fraco (vibrante alveolar) ocorre apenas em posição medial de palavra e grafa-se com <r>. A representação gráfica destes dois sons é problemática tanto para os alunos que não têm o Português como língua materna, como para aqueles que o têm como primeira língua. Sugerimos, assim, que sejam aplicados a todos os alunos exercícios para praticar estes dois sons, como os que apresentamos a seguir.

 Proposta de exercícios 3 

Para ir ao encontro de dificuldades que envolvem ditongos nasais...

O facto de em algumas línguas não existirem ditongos nasais (e por vezes até vogais nasais) faz com que alguns alunos tenham dificuldade em percepcionar e em produzir a nasalidade desses sons. Assim, sugerimos que os professores criem exercícios que oponham ditongos nasais a ditongos orais, para que os alunos percebam que a diferença entre um <ão> e um <au>, por exemplo, não é meramente contextual, mas que são sons diferentes que distinguem significados de palavras. Propomos também que sejam aplicados a esses alunos exercícios de transcrição de palavras que contenham ditongos nasais e ditongos orais, para que os alunos ganhem prática na identificação desses sons.

 Proposta de exercícios 4 

Para ir ao encontro de dificuldades que envolvem sílabas iniciadas por duas consoantes...

Algumas línguas não permitem a ocorrência de duas consoantes seguidas no início de uma sílaba (sílabas de tipo CCV – consoante-consoante-vogal –, como a que inicia a palavra braço). Os alunos cuja língua materna apresenta esta característica tendem a simplificar estas estruturas, substituindo-as por sílabas de tipo CV (consoante-vogal), que são as sílabas mais comuns nas línguas do mundo. É necessário que os professores pratiquem com os alunos estas estruturas. Para tal, sugerimos alguns exercícios, que envolvem a combinação de diferentes consoantes em posição inicial de sílaba.

 Proposta de exercícios 5 

Para ir ao encontro de dificuldades que envolvem sílabas terminadas em consoante...

Muitas línguas permitem a ocorrência de consoantes em posição final de sílaba. Contudo, as consoantes que podem ocorrer nessa posição variam de língua para língua: no Português podem ocorrer as consoantes /r/, /l/ e //; já no Mandarim, por exemplo, só as consoantes // e /n/ podem ocorrer nessa posição. Estes alunos, cujas línguas maternas não permitem a ocorrência de /r/, /l/ e // em posição final de sílaba, poderão revelar algumas dificuldades. Sugerimos, assim, que os professores apliquem exercícios específicos para que os alunos possam praticar essas estruturas. Aqueles que propomos a seguir são exercícios de transcrição de palavras terminadas em <r> e em <l>.

 Proposta de exercícios 6 




| Imprimir | Adicionar aos Favoritos | Topo |

ILTEC - Projecto Diversidade Linguística na Escola Portuguesa


ILTEC